Os negócios e start-ups de todo mundo há muito que utilizam o outsourcing para suas necessidades de desenvolvimento de software, devido às vantagens consideráveis que acarreta. As razões mais populares pelas quais as empresas optam pelo outsourcing, em vez de contratar programadores internos, são a poupança de tempo e de custos relacionados com a opção.

 

No entanto, quando chegar a altura de escolher um parceiro de IT, devem primeiro decidir para onde querem externalizar o seu negócio, o que quer dizer que precisam de escolher que tipo de outsourcing necessitam: Offshore, Onshore ou Nearshore. Mas qual é a diferença entre cada um destes termos?

 

O QUE É OUTSOURCING ONSHORE?

O desenvolvimento de software Onshore implica contratar uma empresa de outsourcing que se encontra localizada no país de origem da empresa. É a opção mais próxima.

 

Existem várias vantagens deste tipo de outsourcing – ao escolher um parceiro de IT no próprio país, pode-se trabalhar com uma equipa talentosa que pertence ao mesmo fuso horário e que partilha a mesma língua e cultura. Também facilita as reuniões presenciais, quando em comparação com os formatos Nearshore ou Offshore. Portanto, se estes forem aspetos que a empresa valoriza, esta pode ser a solução ideal e nós, na Alter Solutions, podemos ajudar.

 

A principal desvantagem deste formato é o seu custo. Para empresas na Europa Ocidental ou do Norte (tais como o Reino Unido, França ou Alemanha), o outsourcing Onshore pode ser muito mais dispendioso do que as outras duas soluções. 

 

O QUE É OUTSOURCING OFFSHORE?

Quando uma empresa opta pelo desenvolvimento de software Offshore,  implica a contratação de serviços de outsourcing a uma empresa que se encontra noutra parte do mundo, tal como a China ou Índia.

 

Se o custo for a maior preocupação da empresa, então este é o caminho a percorrer. Pode-se também tirar partido da diferença de fuso horário e coordenar a equipa de desenvolvimento interna e o fornecedor de outsourcing, de forma a ter o projeto a decorrer durante 24 horas por dia – embora implique competências de planeamento e comunicação exímias de ambas as partes.

 

As principais desvantagens desta opção são evidentes: diferenças no fuso horário, que perturbam os fluxos de comunicação entre as equipas. Além disso, as diferenças culturais e barreiras linguísticas também podem criar atrito entre as partes.

 

A maioria das questões levantadas neste formato pode ser resolvida com a seleção de um parceiro de Nearshore para outsourcing de desenvolvimento de software. Esta surge como um meio termo entre as duas últimas soluções. 

 

O QUE É OUTSOURCING NEARSHORE?

Quando uma empresa escolhe um parceiro de Nearshore IT, está a contratar uma empresa de outsourcing num país próximo de si. Para empresas da Europa Ocidental ou do Norte, Portugal poderá ser a opção ideal.

 

As equipas de outsourcing Nearshore trabalham com um fuso horário igual ou muito semelhante (Portugal tem uma hora de diferença de grande parte da Europa e do Reino Unido) e, por norma, partilha valores naa cultura de trabalho. Os cidadãos Portugueses encontram-se também no top 10 Europeu no que respeita a proficiência em Inglês e geralmente têm ótimos níveis de Francês e Espanhol, o que ajuda a superar barreiras linguísticas e a melhorar a comunicação entre as equipas. A proximidade geográfica também facilita visitas presenciais, quando em comparação com o Offshore.

 

A nível de custo, os parceiros de Nearshore oferecem vantagens consideráveis quando em comparação com o Onshore, com tarifas por hora muito mais baixas que o primeiro, sem comprometerem a qualidade do serviço. 

Partilha este artigo